Skip to content

O que é Nutrição Enteral?

20 novembro 2017

O termo “enteral” vem do grego enteron, que significa intestino.

Nutrição enteral é a oferta de uma dieta líquida por meio de uma sonda colocada no estômago, duodeno ou jejuno.

Ela é a alternativa mais utilizada para a ingestão de alimentos quando a alimentação pela boca está impossibilitada ou é insuficiente em calorias e nutrientes.

A nutrição enteral é um método simples, seguro e eficaz que ajuda a manter o estado nutricional adequado, permitindo a ingestão correta de calorias, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais nas doses certas, além de proporcionar melhor recuperação e qualidade de vida.

Nas dosagens ideais prescritas pelo médico ou nutricionista, a alimentação por sonda atende todas as necessidades nutricionais e, muitas vezes, não necessita de alimentação complementar, como sucos, leite, vitaminas, sopas, caldos ou outros suplementos.

A utilização de nutrição enteral não se restringe apenas a pessoas acamadas.

Sua indicação é prescrita para pessoas com necessidades nutricionais normais ou aumentadas, como em casos de perda de peso, falta de apetite, incapacidade funcional temporária ou contínua da via oral (boca e esôfago) ou por alguma condição clínica específica que comprometa a deglutição, tais como:

  • Disfagia;
  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Doença de Alzheimer;
  • Doenças neurológicas;
  • Tumores;
  • Condições que necessitem de repouso, como em caso de cirurgias.

Qual a diferença entre dieta enteral e nutrição enteral? 

Tanto nutrição enteral quanto dieta enteral são nomes utilizados para todo tipo de alimentação que necessite de sonda.

Para administrar a dieta enteral, é necessária a passagem de uma sonda, um tubo fino e flexível que conduz o alimento até o órgão necessário (estômago ou intestino).

Para isso utilizam-se as seguintes vias de acesso:

  • Via nasoenteral 

A sonda é passada pelo nariz e se direciona até o estômago ou intestino delgado.

  • Gastrostomia 

A sonda é implantada cirurgicamente e permanece em um orifício (estoma) diretamente no estômago.

  • Jejunostomia 

A sonda é implantada cirurgicamente e permanece em um orifício (estoma) diretamente no intestino delgado (jejuno).

A via de acesso para recebimento da dieta é escolhida pela equipe médica, conforme cada caso, bem como a sua retirada para retorno da alimentação pela boca.

Para alcançar as necessidades nutricionais é preciso que a dieta seja produzida artesanalmente ou adquirida em lojas especializadas.

Sendo assim, as dietas enterais são classificadas em 2 tipos:

  1. Dieta caseira (artesanal) 

É a dieta preparada em domicílio com alimentos em sua forma natural (leite, ovos, carnes, legumes, verduras, óleo, entre outros) e pode ser adicionadas ou não, de módulos de nutrientes (maltodextrina, albumina, proteína, fibras, vitaminas e minerais). Ela deve ser liquidificada e coada adequadamente até se obter a consistência ideal, evitando o risco de entupir o equipo ou a sonda.

Vantagens 

  • Custo relativamente mais baixo;
  • Possibilidade de individualização e variação da dieta;
  • Estímulo ao olfato pela preparação caseira.

Desvantagens 

  • Maior risco de contaminação microbiológica e perda de nutrientes pelo processamento;
  • Tempo de preparo elevado, pelo fato de ser necessário seguir diversas recomendações;
  • Possível perda de nutrientes devido a procedimentos e técnicas utilizadas;
  • Necessidade de ajuste fino na consistência para não entupir a sonda;
  • Incerteza sobre o cálculo correto de calorias e nutrientes.
  1. Dieta industrializada 

É uma dieta pronta e nutricionalmente completa. Possui todos os nutrientes necessários.

Pode ser encontrada na forma de pó, que necessita de diluição em água, ou na forma líquida, pronta para administração diretamente no frasco.

Vantagens

  • Menor risco de contaminação alimentar;
  • Menor tempo de preparo: fórmula pronta para uso;
  • Ingestão adequada de calorias, sem perda de nutrientes;
  • Consistência ideal para administração na sonda;
  • Praticidade, facilidade de acondicionamento, manipulação e administração;
  • Melhor custo-benefício.

Desvantagens 

  • Custo relativamente mais elevado;
  • Necessidade de espaço para estocagem;
  • Encontrada apenas em lojas especializadas.

 

Publicado por: Nova Nutrii | www.nutrii.com.br


Leia também