Skip to content

De olho na hidratação: no inverno, alimentação adequada pode ser alternativa

17 julho 2017

Durante o inverno é comum que as pessoas reduzam o consumo de água, muitas vezes por não sentirem sede ou não estarem habituadas a tomar líquidos com frequência. Aliás, alguns até chegam a pensar que nessa época do ano é possível descuidar um pouco mais da hidratação justamente pelo tempo mais frio e ameno. Embora a perda de líquidos no seja, de fato, um pouco mais acentuada no verão devido às altas temperaturas, cuidar da hidratação do organismo durante o inverno é tão importante quanto em qualquer outra estação do ano. Dessa forma, evita-se o inchaço, desidratação, doenças respiratórias e outros males.

Muito mais do que matar a nossa sede, a água possui um papel significativo na nossa saúde: o líquido representa mais de 60% do peso de um adulto e está presente em todo o organismo, sendo fundamental para seu bom funcionamento e evitando, até mesmo, a propagação de doenças e infecções. Inclusive, estudos apontam que as pessoas que não se hidratam adequadamente estão suscetíveis a retenção de sódio no corpo por conta de uma tentativa do organismo de manter os níveis de água equilibrados, cenário que contribui para o aumento da pressão arterial.

Males causados pela falta de hidratação

Dores nas articulações

Comum em pessoas que sofrem com doenças como a artrite, as dores nas articulações são provocadas pelo desgaste ou até mesmo alteração no estado da cartilagem, tecido encarregado por minimizar o impacto dos movimentos entre os ossos. Uma das principais causas desses incômodos pode ocorrer justamente pela falta de hidratação, já que as cartilagens demandam uma grande quantidade de água, a fim de manter a lubrificação das articulações.

Desta forma, é importante ingerir líquidos regularmente para diminuir a intensidade das dores e também o impacto ósseo, permitindo movimentos mais suaves sem acarretar em desgaste nas articulações.

Enxaqueca

Cada vez mais frequente, as enxaquecas são causas de diversos motivos, dentre eles, a falta de hidratação. Muitas vezes o corpo é incapaz de regular a temperatura, o que faz com que os vasos dilatem e provoquem fortes dores de cabeça. Além disso, o baixo consumo de água pode causar cefaleia, já que o cérebro e os olhos não estão recebendo o líquido adequadamente. A consequência disso são enxaquecas muito fortes e inflamações nas partes internas e posteriores da vista, o que pode acarretar, em casos extremos, em cegueira.

Prisão de ventre

Para que o bolo fecal seja composto de forma adequada, é necessária uma boa quantidade de água no corpo, pois ela ajuda a lubrificar e processar os alimentos. Quando há desidratação ou consumo baixo do líquido é possível que o organismo não seja capaz de eliminar os resíduos e comece a sofrer com problemas de constipação. A falta de água no corpo também faz com que a secreção de sucos digestivos diminua, o que acaba provocando doenças estomacais como, por exemplo, a úlcera e a gastrite.

Problemas respiratórios

Muito frequentes no inverno, alguns incômodos e, até mesmo, doenças respiratórias podem ser evitados apenas com o consumo adequado de água, pois ela é capaz de fortalecer o sistema imunológico. Regadas pelo líquido, as membranas mucosas do sistema respiratório permanecem úmidas, gerando uma camada protetora que serve como barreira contra vírus e bactérias, principais causadores de gripes e resfriados.

Como manter o corpo hidratado?

Consumo baixo de álcool

Embora muitos apreciem uma cervejinha, é preciso moderação no consumo. Em determinadas quantidades, o etanol presente nas bebidas alcoólicas é tóxico para o organismo e exigindo um esforço significativo dos rins para “eliminá-lo”. Quando age no cérebro, o álcool inibe a produção de um hormônio que controla a absorção renal de água, o que faz com que o corpo absorva muito menos líquido. Esse efeito também aumenta a produção de urina em até 50%, propiciando a desidratação e a temida ressaca no dia seguinte. Então para evitar esses transtornos o ideal é apreciar o álcool com prudência. Uma boca dica é sempre intercalar os copos de bebida com alguns de água, dessa forma evita-se a desidratação.

Maior consumo de frutas e vegetais

Grande parte das frutas contém uma boa quantidade de água, o que auxilia na hidratação do corpo, além de fornecerem inúmeros nutrientes ao organismo. Não deixe de consumir frutas ricas em água como, por exemplo, o melão, melancia, laranja, limão, abacaxi, morango e uva.

Outra boa alternativa é ingerir mais vegetais, já que alguns também carregam muita água em sua composição. O pepino, por exemplo, é formado por mais de 90% do líquido, além de ser rico em fibras e flavonoides. E este vegetal não é a única opção: alimentos como o tomate, berinjela, alface e alcachofra também são ótimas escolhas.

Mais chá e água

Beber chás a base de folhas e frutas trazem inúmeros benefícios para o organismo e são uma excelente alternativa para quem não consegue beber muita água. Lembre-se também que se você costuma praticar muito exercício, a atenção com a ingestão do líquido deve ser redobrada. É indispensável manter o corpo hidratado durante a atividade física, mesmo que não tenha a sensação de sede.

Viu como beber água é importante? Por incrível que pareça, algumas medidas muito simples podem fazer toda a diferença no organismo. Por isso cuide-se e tenha uma vida mais saudável! Para continuar lendo assuntos como esse não deixe de visitar com frequência o blog da Nutrii e receber dicas de nutrição e qualidade de vida!